A Palavra Livre de Mortágua
Sexta-feira, 15 de Junho de 2007
Pois bem...
Aqui estou para contestar e opinar acerca do meu querido concelho.
Quero que, esta primeira entrada seja em grande. Com tal, e mediante uma conversa com o Amarelo acerca do Medo de falar, das pessoas se pronunciarem, deixo um trecho para posterior reflexão. O autor, José Gil está consagrado como um dos 25 Grandes Pensadores do Mundo Inteiro, pelo "Nouvel Observateur". Desta feita, em 2004 editou um livro intitulado "Portugal, Hoje O Medo de Existir, que eu aconselho vivamente a todas as pessoas que se interessem por Portugal e, que tenham sentido de reflexão e ponderação acerca do nosso contexto envolvente, enquanto sociedade.
Porquê  escrever acerca deste livro? A meu veu, conceitos como cidadania activa, participação, democracia, ainda há muito para batalhar e, agir neste sentido. Tal como a história dos eucaliptos na nossa querida Mortágua. Nós temos sim senhor algo a dizer. Será catastrófico se não o fizermos. Comprometemos as gerações vindoras. Não é uma visão assustadora, mas sim realista. Como será o concelho de Mortágua daqui a 20 anos? Queres cultivar os campos e, estes estão perfeitamente áridos para as sementes, chupados pela vegetação abundante dos eucaliptos. Queres levar os teus filhos para uma paisagem verdejante e, o verde que encontras é um cinzento, o verde acinzentado dos eucaliptos. E a manta morta? Fantástica!  As folhas dos eucaliptos são tão boas que, nem desaparecem, nem a terra as quer para decompôr! Bonito o panorama...
Tendo em conta que a água potável será num futuro muito próximo o novo "petróleo", então o que fazemos num concelho em que este bem tão precioso serve sim para engrossar as tais árvores malditas? O que está por detrás desta abundância de eucaliptos senão interesses pessoais para encher os bolsos? E nós deixamos?
Prosseguindo, eis o trecho de que falava atrás, que penso dizer muito acerca do nosso Medo de contestar:
" Porque o 25 de Abril não conseguiu abolir a divisão instruído/ sem instrução que correspondia mais ou menos ao par poder-saber / pobreza-ignorância do tempo do salazarismo. Porque na sociedade portuguesa actual, o medo, a reverência, o respeito temeroso, a passividade perante as instituições e os homens supostos deterem e dispensarem o poder- saber não foram ainda quebrados por novas forças de expressão da liberdade.
Numa palavra, o Portugal democrático de hoje é ainda uma sociedade de medo. É o medo que impede a crítica. Vivemos numa sociedade sem espírito crítico - que só nasce quando o interesse da comunidade prevalece sobre o dos grupos e das pessoas privadas."
Ora, comentários?


publicado por mortaguacontesta às 01:20
link do post | comentar | favorito
|

3 comentários:
De áqua a 21 de Agosto de 2007 às 15:36
Comentários?os vossos post falam sempre da mesma coisa...que não há liberdade de expressão, que há repressão da palavra,e a reverência para aqui, e a censura para acolá...e o 25 de Abril isto, e o 25 de Abril aquilo!a revolução dos cravos trouxe-nos muita coisa, não só a possibilidade de dizer o que queremos, mas também a de arregaçar as manguinhas e tentar mudar aquilo que consideramos estar errado!!!.definitivamente estão a enveredar pela critica fácil e a roçar o aborrecimento!!já chateiam os vossos argumentos!só me apetece dizer: falam falm,falam falam...mas não vos vejo a fazer nada!!!fico chateado,concerteza que fico chateado!!!


De Mário Lobo a 21 de Agosto de 2007 às 15:44
Caro amigo.... o 25 de abril dá-me a liberdade de o fazer
Tal como tu a tens. Crias o teu blog, que são de graça no Sapo, e tens toda a liberdade para opinar como quiseres.
Com a criação do blog talvez se te possa conhecer a identidade. Reclamar do escuro é fácil, vir à frente dar a cara e aguentar é que custa.
Por isso, agora e sempre, e infelizmente cada vez mais, a exaltação e o relembrar dos valores de Abril é importante para fazer frente àqueles que das mais variadas formas nos querem cercear a voz.


De catarina a 24 de Agosto de 2007 às 16:34
Caro Indivíduo sem nome:
No que concerne ás suas palavras de crítica aos nossos posts, posso dizer que efectivamente o(a) compreendo relativamente à prática da crítica. É um argumento válido como outro qualquer. A questão que coloco à sua consciência (sendo animal racional têm-na certamente) baseia-se nisto: o que faz diariamente, de acordo com a sua consciência da crítica para não pactuar com o sistema instituído?
Penso que é do senso comum saber-se que em Portugal muito se critica e, na hora da verdade... engolem-se as palavras ditas e, faz-se de conta que não é connosco. Pois bem, gostaría de debater abertamente esta questão consigo. É possível? Ou não?
"Não vos vejo a fazer nada!" Mas, será que uma entidade de cariz omnipresente que contactou comigo? Será? Fala assim como se estivesse dentro da vida de cada um de nós e soubesse o que fazemos todos os dias a todas as horas.
Não deixa de ser caricata a forma como se dirige às pessoas deste blog no que diz respeito à crítica, mas onde está a(s) sua(s) mais valia, a sua intervenção consistente, de forma a enriquecer o nosso blog? Não encontrei... talvez esteja camuflada nas palavras divinas da Sua Excelência Omnipresente. Esclareça-me, se assim o achar pertinente. Se não, hasta la vista.


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


posts recentes

No Comboio Descendente...

À Capela

Pendências e Modernices

A Liberdade de Escolher

Dos Partidos e a sua Demo...

Até Amanhã, Camarada!

Estórias do Maio

"Os Animais são Todos Igu...

25 de Abril Sempre!.. Sem...

As Portas que Abril Abriu

arquivos

Março 2012

Outubro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Outubro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Janeiro 2007

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Dezembro 2005

Setembro 2005

Julho 2005

Junho 2005

Setembro 2004

tags

todas as tags

links
Contador
Visitantes
Juiz de Fora
blogs SAPO
subscrever feeds